• RenovatioMed

Osteoporose: como melhorar a qualidade de vida do paciente


A osteoporose é uma das condições mais comuns entre a população idosa. É fato que, na faixa etária acima de 50 anos, 1 em cada 3 mulheres e 1 em cada 5 homens adquirem osteoporose. Exatamente por conta da alta incidência, a doença não deve ser negligenciada, mas tratada e prevenida de forma assertiva e, para isso, você já sabe, a atenção médica é essencial.

Para pensar em métodos de prevenção e tratamento, precisamos antes compreender seus sintomas, causas, e fatores de risco. Segundo a definição científica, a osteoporose se caracteriza pela diminuição progressiva da densidade óssea e aumento do risco de fraturas. Isso ocorre por conta do aumento de absorção de células velhas e a diminuição da produção de novas células do tecido ósseo, tornando os ossos mais porosos e propensos a fraturas. Para quem tem osteoporose, um simples espirro, tosse ou baque pode causar perdas ósseas.


Como prevenir?

A prevenção da osteoporose, assim como a maioria das condições relacionadas ao envelhecimento, está muitíssimo atrelada a hábitos de vida saudáveis. A alimentação equilibrada, por exemplo, é essencial para garantir níveis adequados de cálcio no sangue, mineral responsável pelo fortalecimento dos ossos. Além disso, tomar até 15 minutos de sol por dia auxilia na fixação da Vitamina D, que também é essencial para os ossos.


Por fim, talvez o hábito mais importante seja a prática regular de exercícios físicos, pois protege o tônus muscular, evitando perdas ósseas, e auxilia a manter o equilíbrio, prevenindo quedas. Procure um profissional adequado para orientação e acompanhamento.


Tratamentos para osteoporose


Antes de iniciar o tratamento, é necessário identificar a causa da perda óssea. Dependendo do diagnóstico, a abordagem pode variar. Mas, de maneira geral, os principais objetivos de qualquer tratamento para osteoporose são evitar fraturas, perda óssea, diminuir a dor e manter a função adequada.


O tratamento pode incluir medicamentos como hormônios sexuais, bisfosfanatos, modeladores de receptores de estrogênio e calcitonina de salmão. Quadros mais graves da osteoporose podem, inclusive, incluir administração subcutânea de hormônios da paratireoide.


Mas há novidades na área! Em 2021, a Endocriny Society divulgou a nova diretriz de manejo da osteoporose em mulheres pós-menopausa, e as principais diferenças foram:

  • Proposta de reavaliação do tratamento entre 3 e 5 anos após o início da terapia

  • Calcitonina só deve ser implementada quando a paciente não puder utilizar as outras alternativas

  • Todas as mulheres com osteoporose devem receber prescrição de suplementação de vitamina D e cálcio.


Além disso, também em 2021, a Food and Drug Administration aprovou um medicamento novo para o tratamento da osteoporose. É o romosozumab, ou Evenness, que restaura o osso sem realizar reabsorção. Nos estudos clínicos, os pacientes que utilizaram o Evenness aumentaram a densidade óssea em até 15% e apresentaram diminuição no risco de fraturas.



Como sempre, a recomendação é consultar-se com um médico especializado, nesse caso, reumatologista, para avaliação do quadro e tratamento da osteoporose. Pacientes idosos também podem se beneficiar muito dos cuidados de clínicas geriátricas e de homecare.



Sua clínica está precisando de auxílio no manejo de pacientes crônicos e idosos? Conte com o dispositivo Renovatiomed para organizar a rotina medicamentosa! Solicite sua demonstração gratuita clicando aqui.

 
 

Vamos juntos construir uma saúde mais eficiente e justa aos pacientes crônicos!


Até o próximo post.



Fontes:


https://www.sbemsp.org.br/para-o-publico/noticias/116-conheca-os-numeros-da-osteoporose#:~:text=Calcula%2Dse%20que%20a%20doen%C3%A7a,com%20mais%20de%2050%20anos.

https://drauziovarella.uol.com.br/mulher-2/osteoporose/

https://pebmed.com.br/osteoporose-aprovado-medicamento-que-promete-construcao-ossea/#top

https://academic.oup.com/jcem/article/104/5/1595/5418884



14 visualizações0 comentário