top of page

Tudo o que você precisa saber sobre a nova onda da Covid-19

Três anos depois dos primeiros casos de Covid-19 no mundo (sim, começou em dezembro de 2019), estamos diante da possibilidade de uma onda. Aumento repentino no número de casos, novas variantes, 9ª onda na França, máscaras novamente…

Para facilitar a sua compreensão sobre o atual cenário, reunimos aqui as principais e mais atualizadas informações sobre a Covid-19.


Médicos

Sub variante da ômicron

As notícias mais relevantes sobre a nova sub variante apontam para a França como epicentro. O aumento no número de casos e hospitalizações têm preocupado o governo francês, principalmente com a chegada do inverno no hemisfério norte, época propícia para maior propagação do vírus: foram quase 50 mil novos casos registrados na última sexta-feira, dia 25/11, com aumento de 46% em relação à semana anterior.


A responsável pela nova onda de Covid na França, que está se espalhando rapidamente pela Europa, é a sub variante BQ.1.1 da ômicron.


E no Brasil?

Aqui no Brasil, Goiás já registrou seus 15 primeiros casos de BQ.1.1, que também apareceu em outros 4 estados: São Paulo, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e Amazonas. A primeira morte pela sub variante foi registrada no início do mês, dia 08/11, em São Paulo.


Até o fechamento deste texto, o número máximo de mortes pela nova onda de Covid no país foi 116, registrados na segunda-feira, dia 28 de novembro, que reafirmaram a tendência de alta pelo 9º dia seguido. Também foi o quinto dia consecutivo em que a média de casos registrados ultrapassou 20 mil.


Tudo isso indica que estamos diante de mais um momento de preocupação e que os cuidados devem ser redobrados.


Covid

A vacina protege contra as novas variantes?

Como a sub variante BQ.1.1 é bastante recente, é difícil prever se as vacinas que já existem e estão sendo aplicadas na população (como, por exemplo, Pfizer e Astrazeneca) protege contra todos os sintomas. Entretanto, em nota técnica, a Organização Mundial da Saúde (OMS) destacou que as vacinas devem seguir protegendo contra as formas mais graves de Covid provocadas pelas novas variantes.


Dessa forma, a recomendação oficial é seguir o calendário de vacinação à risca. As doses de reforço (3ª e 4ª doses, e 5ª dose para imunossuprimidos) devem ser incentivadas. Cidades como Salvador, Rio de Janeiro e Niterói já ampliaram seus esforços para manter o esquema vacinal dos habitantes completo.


Na primeira semana de dezembro, entrarão em pauta a dose de reforço para crianças e a vacinação para 2023.


Máscaras

Após o aumento no número de casos por infecção do Covid, as máscaras voltaram a ser obrigatórias em diversos ambientes e municípios. Até o momento não há obrigatoriedade a nível federal, ficando a cargo das cidades, estados e estabelecimentos definirem suas regras para o uso de máscaras.


Entretanto, é de bom tom e expressa cuidado com a saúde pública utilizar máscaras em público, principalmente em ambientes fechados. Sabe-se que aquelas que seguem as diretrizes oficiais previnem a contaminação generalizada de diversos vírus, sendo eficientes, inclusive, no combate a outras doenças.


Mulher com máscara

O que fazer?

Nesse momento, o mais importante é permanecer de olho nas notícias e orientações oficiais, além de promover a vacinação completa contra o Covid-19. Também é essencial ficar atento a qualquer sintoma, respeitar o isolamento social em casos de suspeita ou de confirmação da doença e evitar aglomerações em ambientes fechados.



 

Fontes:








1 visualização0 comentário

Kommentare


Assine nossa newsletter

e fique por dentro das novidades

bottom of page